PRIMEIRA VITÓRIA: Pequeno Vitor tem alta após 50 dias internado; luta contra câncer raro segue com tratamento pelo CTO

Ao sair da Santa Casa de Araçatuba, na noite deste domingo (6), o pequeno Vitor Emanuel Alves Gomes, de dois anos e dez meses, ficou encantado ao avistar um passarinho. Depois, ficou feliz da vida ao ver o carro da família e saber que iria para casa. Mas foi ao chegar em Andradina, onde mora, que a emoção tomou conta dele e dos irmãos, que estavam há quase dois meses sem se ver e choraram de alegria ao se abraçar.

As lágrimas de felicidade eram a recompensa após 50 dias internado e 12 sessões de quimioterapia para tratar um tipo raro de câncer. Vitor foi diagnosticado com ganglioneuroblastoma, cuja prevalência é de um caso para cada 10 mil crianças com idade abaixo de 15 anos. Por ano, um novo caso é registrado entre 70 mil crianças até esta faixa etária. Apesar de incomum, é o quarto tipo de câncer mais frequente na infância.

A luta de Vitor pela vida teve início em março e as primeiras batalhas já foram vencidas. Neste domingo, recebeu alta e foi para casa, mas seu tratamento vai prosseguir no CTO (Centro de Tratamento Oncológico) da Santa Casa de Araçatuba, com consultas semanais e novos ciclos de quimioterapia.

Conforme a pediatra oncológica Cibele Cristina Castilho, que acompanha o garotinho, ele está bem mais ativo do que quando deu entrada no hospital, no dia 16 de março, não tem mais dor, está andando e se alimentando normalmente. O tumor está diminuindo, no entanto, a diminuição é lenta, conforme a médica. “Isso faz parte do tratamento, é assim a resposta deste tipo de doença”, explicou.

Conforme ela, Vitor recuperou a imunidade após as quimioterapias e está em condições de ser acompanhado ambulatorialmente, ou seja, sem precisar ficar internado. Os novos ciclos de quimioterapia serão realizados assim que ele se recuperar do último que tomou, durante três dias. Estão previstos outros sete ciclos de químio, para depois ser reavaliado com exames e ser programada sua cirurgia.

A mãe de Vitor, a dona de casa Vanessa Fernanda Alves Gomes, 33 anos, está feliz com a evolução do tratamento e mantém a fé na cura do filho. Ela segue à risca as orientações da médica e conta que Vitor não pode receber muitas visitas, por causa da imunidade. Na próxima sexta-feira (10), voltarão a Araçatuba para fazer novos exames de sangue.

“O Vitor ficou muito feliz ao ver os irmãos, deitou na cama com eles e brincou bastante”, relata a mãe. A irmãzinha, Emanuele Vitória, de seis anos, não parava de chorar ao receber o caçula em casa, emoção que também contagiou Natan, o mais velho dos três irmãos, de 14 anos.
Agora, é preciso cuidado com a alimentação do pequeno guerreiro. Nada de açúcar, frutas ácidas e refrigerantes. A dieta é restritiva e deve ser seguida à risca para garantir sua saúde. Além disso, deve tomar muita água.

Vanessa enviou um texto para a reportagem, no qual agradece a Deus; ao seu irmão, Marcos César, que insistiu para que a família trouxesse Vitor para Araçatuba; à junta médica da Santa Casa, em especial, à médica Cibele; às enfermeiras e a todos os profissionais envolvidos no tratamento do Vitor.

A mãe prossegue agradecendo aos familiares e à população de Araçatuba, pelo apoio e palavras de fé e conforto. E também à população de Andradina, que se mobilizou para ajudar de todas as formas.

Compartilhe