NO ZAP ZAP: Secretária de Cultura ataca presidente da Câmara; ofende populares e deixa assessora desdenhar de pobres

Um governo feito de crises decorrentes da incapacidade de seus integrantes. Essa é a definição que mais se enquadra à atual gestão de Araçatuba, a tal da administração DILAFLOR, com nominho inventado por marqueteiros e que tem como componentes o cimenteiro Dilador Borges (PSDB), eleito prefeito em 2016, e sua vice, a defensora dos direitos humanos, da ética, da legalidade e da moralidade, Edna Flor (PPS).

É o governo que ainda não completou 11 meses de mandato mas que já coleciona uma série de problemas que, para quem prometeu transformar a cidade, não faz em nada justiça ao slogan que cuspiu boca afora durante a campanha eleitoral: o famigerado “Araçatuba Merece Respeito”.

De fato merece, porém, ele tem passado longe da atual administração, a contar pelos episódios inglórios protagonizados de janeiro até agora por seus componentes. O mais recente, tendo como linha de frente a transbordante Maria Teresa Assis Lemos Marques de Oliveira, vulgo Tieza, que se reelegeu vereadora pelo PSDB nas eleições de 2016 e que foi escalada, logo no início do ano, para estancar uma primeira crise envolvendo a secretaria de Cultura, quando o governo DILAFLOR teve que demitir Marly Garcia, impedida de continuar no cargo por acumular problemas financeiros para com o município.

Especialista em recursos humanos; autora do famoso (?) hino da AEA (Associação Esportiva Araçatuba) e de família cheia de formadores de opinião na cidade, Tieza pecou pelo excesso de confiança e vacilou vergonhosamente ao proferir declarações um tanto quanto agressivas num grupo de WhatsApp formado por funcionários da secretaria de Cultura.

O vacilo – assim preferimos denominar o ocorrido – se deu há 15 dias, quando a Câmara levou a votação pela primeira vez proposta do governo DILAFLOR de reajuste do IPTU. Escalada, assim como dezenas de funcionários ocupantes de cargos apadrinhados na atual administração, para engrossar o coro em favor do aumento do IPTU, ela trocou no decorrer dos trabalhos legislativos mensagens repugnantes com alguns de seus subalternos. Entre eles, o diretor de Cultura, Régis Queiroz, que na campanha eleitoral comandou o programa de rádio dos eleitos; e a assessora de planejamento e elaboração de projetos, Iria Rosilda Anhê, outra que foi agraciada com boca no governo municipal por ser alinhada ao tucanato local.

Por sinal, dos três acima citados, Iria Anhê e Tieza é quem faz as principais ofensas. Régis Queiroz não chega a ser agressivo. No entanto, foi ele quem confirmou ao Política e Mais, por meio de ligação telefônica – o site tem como provar –, que o diálogo de fato aconteceu. Apesar de, no decorrer da conversa telefônica, ter se tocado que poderia estar falando demais, o que o fez mencionar uma possível edição do material e em seguida passar o telefone para um estagiário contratado por indicação da secretária.

A CONFIRMAÇÃO E A ESCAPADA

O Política e Mais perguntou a Régis Queiroz o que ele tinha a dizer sobre as mensagens espalhadas em redes sociais. “Ah, cara, eu fico triste, né. Muito triste. Porque coisas internas, num grupo interno, com pessoas que a gente confia, de repente acontece um negócio desse, né. Você vê aí que eu não falo nada, não comento nada”, afirma.

O diretor escapa da conversa quando o Política e Mais reforçou pergunta sobre a veracidade do caso. “Aí é que tá. Não sei se foi esse diálogo, porque eu estava no local, nós estávamos na Câmara. O que eu mandei, foi isso mesmo. Mas eu tô recebendo informações que o negócio foi editado. Inclusive, tem, se você ver o print, o print da conversa, tem aí na lateral da informação uma tesourinha. Então eu não sei se foi sobreposto, se alguém sobrepôs isso aí”, desconversou.

Também por telefone, o Política e Mais ouviu a assessora de planejamento e elaboração de projetos culturais, que é advogada por formação. Iria Anhê afirmou desconhecer o fato. “Não sei te falar. A gente está tentando descobrir. É uma montagem. Estamos tentando descobrir. Estamos chegando. É uma montagem. É a única coisa que eu posso falar”, declarou.

Questionada se as declarações que aparecem no diálogo do grupo de WhatsApp foram escritas por ela, Iria desconversou e disse que não poderia continuar na ligação, pois estava em reunião. O Política e Mais tentou por diversas vezes falar com a secretária Tieza, mas ela não atendeu a nenhuma ligação.

Pelo que mostra as publicações, Tieza começa com mensagem dizendo que está chegando à Câmara. Iria fala de sua localização no auditório e Régis diz que o espaço está lotado. A secretária começa a ser ofensiva quando, conforme mostram as imagens capturadas de uma tela de celular, diz que os manifestantes contra o aumento do IPTU “recebem um pão com mortadela e uns trocados”. E conclui: “Petistas malandos e seus comandados são assim”.

Em outra postagem, Tieza diz que é um “absurdo a Câmara não votar o PL (Projeto de Lei do aumento do IPTU)”. Sua manifestação é emendada por outra, de Iria Anhê: “Absurdo!!! Aquele povo nem sabe o que fala! Queria que dessem um microfone nas mãos de vários deles para expor suas ideias…” Tieza completa com a cereja do bolo: “Ideias? Certamente não as têm.” Sua assessora prossegue: “Não tem! E pior, mtos (sic) ali nem IPTU devem pagar, nem devem ter imóvel, estão lutando feito bobos pelos ricos!!!”.

A secretária, que é vereadora licenciada para comandar a Cultura Municipal, ainda ataca o presidente do Legislativo, Rivael Papinha (PPS). “Papinha fica dando ouvidos pra arruaceiros”, diz Tieza. Sobre os manifestantes, Iria Anhê lança que na Casa esta “estava um ‘buzuzu’ que era povo do Cido Saraiva”.

Novamente, Tieza fez seu comentário mais acabou traída ao mencionar partidos. “Pode ser: PT e PSDB são irmãos de Fé”, escreveu. Em seguida, corrigiu: “Ops: agora que vi o erro. É PT e PMDB”. Mais uma vez a assessoria de planejamento se manifesta: “Ah Bom!!! Rsrs”.

EM SILÊNCIO

Questionada pelo Política e Mais a Prefeitura de Araçatuba não se manifestou até o fechamento desta reportagem. Tieza também continuou não atendendo a ligações feitas para seus telefones. Om presidente da Câmara, Rivael Papinha, e o vereador Cido Saraiva também ficaram quietos, sem se pronunciar sobre o caso.

Nas redes sociais, o assunto fervilhou e continuará a fervilhar, uma vez que memes começaram a ser criados com a imagem de Tieza e frases pinçadas do diálogo entre a secretária de Cultura e seus subalternos. Num deles, em letras garrafais, é pedido: #FORATIEZA.

Compartilhe

Política e Mais

Informações sobre os bastidores da política em Araçatuba e Região e assuntos relevantes aos internautas, como economia, negócios, cultura, esportes, polícia e lazer.