Indústria calçadista de Birigui dobra vendas no mercado externo, mas reduz produção e empregos em 2017

A indústria calçadista de Birigui dobrou o volume de exportações em 2017 em comparação a 2016, mas a conquista de mercado no exterior não foi suficiente para evitar a queda na produção e no número de empregos.

Em 2017, o polo calçadista de Birigui produziu 45.917.000 pares, o equivalente a 189.742 pares por dia. Os números são 2,5% menores do que os registrados em 2016, quando foram produzidos 47.059.000 pares de calçados, sendo 194.462 por dia.

Os dados são da Pesquisa do Polo realizada pelo Sinbi (Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui), divulgada na manhã desta segunda-feira (08).

A queda na produção resultou também no corte de pelo menos 654 empregos: eram 14.490 trabalhadores em 2016 ante os 13.836 em 2017

A exportação, por sua vez, saltou dos 3,1%, em 2016, para os 6,28% em 2017. O resultado, segundo o presidente do Sinbi, Carlos Mestriner, é decorrente da estratégia adotada pelo sindicato de incentivar a internacionalização das marcas. “Há dois anos enfrentamos um mercado interno retraído, com alto desemprego e adversidades no cenário político que impactaram negativamente a economia como um todo. Para que não houvesse uma queda mais drástica na produção da indústria, a saída foi se abrir para buscar novos mercados”, afirmou Mestriner.

Ano 2016 2017
Produção de pares / diária 194.462 189.742
Produção de pares / ano 47.059.000 45.917.000
Exportações 3,1% 6,28%
Empregos diretos 14.490 13.836
Compartilhe