CULTURA EM RUÍNAS? Após discussão, secretária Tieza teria “expulsado” jornalista Salomé Macedo da pasta que administra

A coisas na secretaria de Cultura, ao que tudo indica, não andam nada bem. Informações de bastidores sobre a pasta dão conta de que a jornalista Salomé Macedo não faz mais parte da repartição, após uma discussão com a comandante Tieza Marques de Oliveira (PSDB).

Embora ainda esteja nomeada para o cargo de diretora de Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico e Cultural, Salomé não foi trabalhar na quinta e sexta-feira passadas e já teria até ido buscar seus pertences na secretaria.

Nos bastidores, a informação é de que Tieza não quer mais a presença da jornalista na secretaria porque ela não estaria obedecendo à hierarquia nem cumprindo as ordens passadas pela secretária.

O Política e Mais entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura, que é coordenada pelo secretário de Comunicação, coronel Deocleciano Borella Júnior, que exerce também a função de chefe de gabinete.

Perguntamos se a jornalista foi mesmo dispensada pela secretária; o que teria motivado a dispensa; se houve discussão entre a funcionária e Tieza; questionamos ainda quem assumirá a diretoria do Patrimônio Histórico e se a jornalista será reaproveitada em outra secretaria. A assessoria respondeu apenas que “a referida servidora não foi exonerada”.

Salomé Macedo trabalhou nas campanhas políticas de Dilador Borges (PSDB) e, inclusive, ajudou na elaboração de seu plano de governo. Antes, porém, a jornalista, que é também artista plástica, foi presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais e colaborou com a elaboração das leis do Sistema Municipal de Cultura.
Procurada, a jornalista disse que não comentaria o assunto e pediu que a reportagem procurasse a assessoria de imprensa da Prefeitura.

Compartilhe