CÂMARA VAI APROVAR? Pressionado, Dilador agora propõe aumento fatiado do IPTU: 40% divididos nos carnês de 2018 e 2019

Pressionado de todos os lados após vir a público a proposta de aumento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), publicada em primeira mão pelo Política e Mais, o governo Dilaflor – formado pelo cimenteiro Dilador Borges (PSDB) e pela defensora dos direitos Humanos, da Ética, da Legalidade e da Moralidade, Edna Flor (PPS) – deu um passo atrás e propôs aos vereadores, nesta quinta-feira (26), executar o reajuste do tributo meio que a conta gotas.

De acordo com o secretário de Fazenda, Josué Cardoso, a nova proposta prevê um aumento de 20% no IPTU a ser cobrado dos araçatubenses já em 2018 e mais 20% a serem elevados nos carnês que chegarão aos contribuintes em 2019, totalizando uma elevação de 40%.

A nova proposta põe fim ao número fechado de 45% de alta no IPTU. Justamente o número do PSDB nas urnas, partido de Dilador e seus companheiros de sigla, em especial os que disputarão cargos eletivos nas eleições do próximo ano.

Apesar do recuo, ainda não é certo que a proposta vai ser aprovada pela Câmara. O governo Dilaflor tem, antes de mais nada, que convencer os vereadores a votarem favorável a sua proposta em pleno período de crise financeira que assola o país e às vésperas de mais uma disputa eleitoral.

VENDEDORES DE ALMAS

Pelo que apurou o Política e Mais, apesar da confiança do governo municipal, para ser aprovado, o cimenteiro Dilaflor e a boa samaritana Edna Flor terão que negociar com os vereadores. Há no Legislativo parlamentares que até defendem a correção, mas que nos bastidores já dão sinais de que mandarão suas faturas para o Executivo.

Aumentar o IPTU em ano eleitoral, por exemplo, é um péssimo negócio para vereadores que devem candidatar-se a deputado em 2018, como o presidente da Câmara, Rivael Papinha (PSDB), Cido Saraiva (PMDB) e também a vice-prefeita Edna Flor.

Certo é que, por mais que os araçatubenses venham a ouvir nas próximas sessões da Câmara – que o aumento do IPTU se faz necessário pelo fato de o tributo não ser corrigido há 11 anos, o que caracterizaria renúncia de receita conforme alega o governo ter indicado o TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) – o aumento não sairá de graça. Os próprios vereadores confirmaram ao Política e Mais que para aprovar, Dilador e Edna Flor teriam que “vender” parte de suas almas.

Em resumo, os parlamentares que votarem favoravelmente ao aumento do IPTU terão benesses do governo. Nem que seja a médio prazo, é certo no discurso dos vereadores que para elevar o imposto eles ganharão mais cargos para indicação de comissionados e até mesmo poderão indicar mais servidores efetivos para receberem as famigeradas Funções Gratificadas.

O grandioso presente que Dilador e Edna Flor darão aos araçatubenses logo no primeiro ano de governo deve chegar à Câmara em forma de projeto para uma possível leitura em plenário na próxima segunda-feira.

POPULAÇÃO VAI SE CALAR?

Nas redes sociais, o que se vê é uma série de críticas à dupla Dilaflor, por conta de um aumento tributário que não era esperado pela população, em especial no período que atravessa o país. Quem quiser tentar barrar a proposta, deve passar a pressionar os vereadores, enchendo o auditório da Câmara para mostrar que a população tem sua força.

Neste caso, é preciso mostrar para os ilustres parlamentares que, muitos que hoje exercem mandatos no Legislativo, poderão perder suas cadeiras nas próximas eleições. Quem votar sim ao reajuste do IPTU, merece receber um grande não nas eleições de 2020. Não se esquecendo do pleito de 2018 para quem vai se candidatar a deputado.

Compartilhe

Política e Mais

Informações sobre os bastidores da política em Araçatuba e Região e assuntos relevantes aos internautas, como economia, negócios, cultura, esportes, polícia e lazer.